Estúdio Gota de Areia

Parece que foi ontem que o moleque birrento que gostava de inventar coisas começou a rabiscar suas estórias, que não muito depois virariam histórias em quadrinhos desenhadas em folhas de papel sulfite dobradas ao meio e grampeadas com o grampeador da mãe. Desenhar não era o forte do garoto, mas de alguma forma ele tinha que expressar suas ideias.

Trinta e um anos depois, esse garoto ainda tinha ideias, um pouco mais elaboradas de fato, mas que ficaram entulhadas e escondidas embaixo de uma pilha de CDs e manuais usados para aprender sua atual profissão de programador.

Bastou então um desenhista como Márcio Melo para acender a faísca que faria com que o amontoado de ideias, já meio mofado e desiludido, explodisse em chamas e ganhasse novo fôlego num fervor desenfreado, atingindo tudo que estivesse em seu caminho.

Um projeto que começou como uma ideia descompromissada no distante ano de 2012, acabou culminando em um estúdio de animação, quadrinhos e muitos outros projetos.